Funkeiro MC Sapão morre aos 40 anos no Rio de Janeiro

MC Sapão morreu nesta sexta-feira no Rio de Janeiro em decorrência de uma grave pneumonia e insuficiência cardíaca. O cantor de 40 anos estava internado desde o dia 10 no Hospital Rocha Faria, na zona oeste da capital carioca. O funkeiro deixa quatro filhos: Pedro, Kevin, Odara e Brisa. 

Segundo informações da assessoria de imprensa do músico, ele estava internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do hospital desde o dia 10 de abril. Na quinta-feira, seu quadro era “grave e estável”.

Em nota divulgada na quinta-feira, a assessoria informava que “o cantor estava em turnê pelo Brasil, cumprindo agenda de shows e divulgação da sua nova música Deixa Ela Dançar, em parceria com o cantor venezuelano Labarca. Devido à bateria de shows e às variações climáticas dos locais em que passou nas últimas semanas, Sapão contraiu uma gripe forte que desencadeou uma pneumonia”.

Ele estava escalado para se apresentar no Rock in Rio deste ano, ao lado de outros artistas do funk.

História

Jefferson Fernandes Luiz nasceu no Rio de Janeiro, no dia 12 de novembro de 1979. Criado na comunidade carioca de Nova Brasília, no Complexo do Alemão, Jefferson sempre sonhou em ser artista. Já o nome artístico “Sapão”, surgiu de um apelido de infância.

Em 1999, Sapão ficou preso sob alegação de associação ao tráfico de drogas. Atrás das grades, ele compôs a música “Eu Sei Cantar”, onde pedia perdão para a mãe e prometia que ia usar seu dom para “coisas boas”. Depois de oito meses, o cantor foi absolvido por falta de provas.

O sucesso de Sapão aconteceu depois de muita batalha. Antes de se tornar cantor, ele trabalhou como borracheiro, porteiro de creche e entregador de flores e marmitas.

Sucesso

Em 2005, Sapão lançou “Diretoria”, que se tornou uma das canções mais tocadas na comunidade do funk carioca. O destaque musical deu a chance do cantor se apresentar em diversos bailes e clubes no Rio. E, no ano seguinte, ele emendou a boa fase com o CD “Tô tranquilão”. A faixa título é sucesso até hoje.

Durante sua trajetória, Sapão emplacou diversos hits como “Mocinho e Bandido” (com a dupla João Neto e Frederico), “Deixa Ela Dançar”, “Vou Desafiar Você” e “Rei do Baile” (com MC Guimê e Mr. Catra).

Sapão também virou “queridinho” das celebridades. Em 2010, ele se apresentou no casamento dos atores Bruno Gagliasso e Giovana Ewbank.

Em 2013, por problemas de saúde, o funkeiro precisou emagrecer 50 quilos. Com força de vontade e sem cirurgia, os exercícios ajudaram Sapão a manter o peso e ajudar no controle da diabetes tipo 2. Inventivo e bem humorado, Sapão é considerado um dos maiores nomes do funk carioca.

*Correiodopovo

Lenny Kravitz exibe sua fazenda no Rio de Janeiro em vídeo no Youtube

O cantor americano Lenny Kravitz exibiu sua fazenda do Rio de Janeiro em um vídeo no Youtube, mostrando o que contém nos cômodos da casa principal, além de frutas e vegetais produzidos por lá e até local de ensaio de sua banda. “Quando você entra neste lugar, entra em uma fazenda em que todos comem lindos produtos orgânicos, é um otimo lugar para vir e ser criativo e é uma parte da vida que, felizmente, não nos cansamos”, conta.

Ele entra na casa, mostra um piano, que comprou há 25 anos, e uma pintura de seu afilhado. Quando vai ao quarto, mostra uma fotografia de seu avô, feita por Ruven Afanador, nas Bahamas, enquanto gravava o album “Circus”. “Sempre quero poder tocar um instrumento”, diz o cantor. Por conta disso, ele possui um amplificador Fender e uma guitarra preta Les paul, da Gibson, para poder tocar na casa. Além disso, a banda dele está lá, “fazendo ensaios, refeições e vivendo juntos”. Em um dos cômodos, ele exibe uma poltrona vermelha que pertenceu a Andy Warhol. 

*Correiodopovo

Elton John revela que “Rocketman” foi fiel à sua história

Outra cinebiografia de um rockstar tomará conta dos cinemas no próximo mês. “Rocketman” mostrará a vida pessoal e profissional de Elton John, músico britânico que já vendeu mais de 300 milhões de disco e tornou-se um dos músicos de maior sucesso do mundo. 

Segundo o Elton John, o longa dirigido por Dexter Fletcher foi fiel à sua trajetória. “A história tinha que ser a mais honesta possível. Os baixos foram bem baixos, mas os altos também foram bem altos. E era assim que eu queria fosse que o filme”, confessou John em vídeo sobre o filme. 

O próprio diretor relatou que o filme é uma fantasia musical épica sobre a incrível história da carreira do ícone da música. “Esse filme é uma releitura mágica do Elton John sobre a sua própria vida. Pelo Elton ser naturalmente quem ele é, sua história nos permite entrar em um mundo de fantasia e imaginação”, revelou Fletcher.

O ator Taron Egerton foi o responsável por dar vida a John nas telonas. “É incrível como esse garoto humilde se tornou um dos maiores ícones do mundo da música. A maior alegria da minha carreira profissional foi fazer esse filme”, comemorou Egerton.

“Rocketman” mostra a fantástica jornada de transformação do tímido garoto e pianista prodígio Reginald Dwight no superstar internacional Elton John, uma das figuras mais icônicas da cultura pop. O elenco ainda  conta com Jamie Bell, interpretando o compositor parceiro de longa data de Elton John, Bernie Taupin, Richard Madden, como o primeiro empresário de Elton, John Reid, e Bryce Dallas Howard, como a mãe de Elton, Sheila Farebrother.

*Correiodopovo

Roberto Carlos faz 78 anos: Confira 5 sucessos do rei

Antes mesmo de cantar para os apaixonados de todo o Brasil, Roberto Carlos foi rockeiro. Sob riffs de guitarra, comandava o programa Jovem Guarda juntamente com Erasmo Carlos e Wanderléa. Nas mais de cinco décadas de carreira, cantou sobre abandono, partida, paqueras, questões jovens, términos e retornos. Foi artista de cinema, astro de televisão, e é o cantor solo mais vendido do país, vendendo mais de 120 milhões de cópias.

Foto: Reprodução/Facebook

Aos 78 anos, Roberto Carlos não parece querer parar: Seu cruzeiro anual, o Emoções, já tem setores esgotados para a partida em 2020. Continua com turnês por todo o Brasil, sucesso por onde quer que passe. Separamos para você cinco sucessos do rei, um por década, para relembrar a trajetória do cantor. Feliz aniversário, Robertão!

Década de 60

Marcada pelo belíssimo órgão Hammond, “Quero Que Vá Tudo Pro Inferno” é um dos grandes sucessos da Jovem Guarda. Um rock and roll que já mostrava uma faceta mais romântica de um jovem Roberto Carlos, lamentando o fato de ter perdido a amada.

Década de 70

Em 1971, Roberto Carlos dava sua guinada ao romantismo. “Detalhes”, um dos maiores sucessos da carreira do rei, fala sobre amor e abandono, sob uma base suave e romântica acompanhada por uma orquestra, vibraphones e pianos. Uma grande cisão do estilo rebelde e roqueiro da Jovem Guarda.

Década de 80

Foi nessa época, em 1981, que Roberto gravou o que talvez seria seu maior sucesso. “Emoções”, parceria com Erasmo Carlos, é acompanhada por uma orquestra big band a-la Frank Sinatra, e é presença obrigatória nos repertórios do cantor até hoje.

Década de 90

Um Roberto mais maduro, na década de 90, acompanhava a mudança de faixa etária de seu público. Se antes cantava para os “brotos” da Jovem Guarda, foi em 1996 que lançou “Mulher de 40”.

Décadas de 2000/2010

Nos anos 2000, Roberto Carlos mostra que ainda está com tudo. Em pleno 2012, emplacou um dos maiores hits do ano, parte da trilha sonora da novela “Salve Jorge”. Em “Esse Cara Sou Eu”, o rei fala de todas as qualidades de um homem dos sonhos, em uma declaração apaixonada.

*Terra

Luan Santana exibe visual sem barba após seis anos

Luan Santana está de cara nova! Na tarde desta segunda-feira (8), o cantor dividiu com os fãs um vídeo em que ele aparece sem barba pela primeira vez em seis anos. “Vem DVD novo, de cara nova!? Tomei coragem!”, escreveu.

“Depois de 6 anos de barba vou ficar com a cara pelada de novo para ver o que vira”, disse. Enquanto eliminava os pelos com a lâmina, Luan afirmou que não ficaria bom de cavanhaque, não.”

O vídeo já ganhou mais 900 mil visualizações. Os fãs ficaram surpresos com o visual do cantor. “Meu Deus, parece que eu voltei no tempo”, disse um homem. “Ficou muito a cara do primeiro DVD”, disse uma fã. “Prefiro com”, respondeu uma admiradora.

*R7

Leonardo aparece de surpresa em karaokê de São Paulo e canta ‘Evidências’

Poderia ser uma noite comum em um dos vários karaokês do bairro da Liberdade, em São Paulo, mas nesta quinta-feira (11) foi diferente. Alguns sortudos dividiram o microfone com o cantor Leonardo.

O cantor escolheu a música “Evidências”, um clássico dos bares desse tipo e as pessoas cantaram junto.

Em post no Instagram, ele disse que foi a primeira vez que foi a karaokê em São Paulo. “Meu povo, pensa o tanto que divertir. E é claro que cantei “Evidências”, o hino mais cantando nos Karaokê do Brasil”, escreveu.

Na sequência, ele marcou o perfil da dupla Chitãozinho e Xororó, intérpretes desse clássico da música sertaneja.

*G1

Museu em Nova Iorque exibe instrumentos emblemáticos da história do rock

São instrumentos que contribuíram com a história do rock: guitarras, pianos e baterias que pertenceram a grandes nomes da música e que podem ser vistos a partir desta segunda-feira no Metropolitan Museum de Nova Iorque. A exposição, que termina em 1 de outubro, quer apresentar esses objetos emblemáticos como “vetores de inovação artística”, explicou Max Hollein, diretor do Met, à imprensa.

“Os instrumentos são alguns dos objetos mais pessoais associados aos músicos mas, como espectadores, sempre os vimos de longe, em um palco, durante um show”, disse Jayson Kerr Dobney, o curador da exposição. Essa apresentação “oferecerá a rara oportunidade de analisar de perto alguns dos objetos mais emblemáticos do rock”, explicou. 

Para organizar a exposição, a instituição nova-iorquina contou com a colaboração do panteão do rock, o Rock and Roll Hall of Fame, instalado em Cleveland, no estado de Ohio (nordeste dos EUA). O museu também recebeu empréstimos por parte de músicos, interessados na visão do Met e, com frequência, fascinados pelo que esse espaço cultural representa. 

O cantor americano Steve Miller, o famoso intérprete do sucesso “The Joker” à frente da Steve Miller Band, elogiou o trabalho dos curadores, que “romperam com anos de coisas absurdas que buscavam banalizar os instrumentos”. Miller ficou “impressionado perante a potência, elegância e inteligência” da exposição, para a qual emprestou várias guitarras.

A mostra contém também instrumentos de seis cordas – e inclusive de 12, no caso da guitarra de dois braços de Don Felder, do grupo Eagles -, que pertenceram a Chuck Berry, Eric Clapton, Bob Dylan, Joan Jett e Elvis Presley. 

O entusiasmo de Jimmy Page 

Os visitantes poderão mergulhar no universo ao que remetem esses instrumentos graças a uma tela que projeta solos notáveis, como um de Prince, e as caixas de som que acompanham musicalmente o percurso da exposição.

O museu, localizado no Central Park, na Quinta Avenida, também expõe roupas de músicos e um grande número de cartazes de shows. “Nunca teria me atrevido a sonhar em estar aqui, sequer quando era criança”, afirmou o guitarrista do grupo britânico Led Zeppelin, Jimmy Page, que alcançou a fama há mais de quatro décadas. “Estava disposto a qualquer coisa para que esta exposição acontecesse”, disse. 

O Met apresenta 185 objetos, entre eles 130 instrumentos, de um período que vai de 1939 a 2017. Embora as chamadas artes menores estejam apenas começando a entrar nos grandes museus do mundo, o Met tem há anos uma coleção significativa de instrumentos musicais procedentes dos cinco continentes. 

A mostra recebeu críticas quando foi anunciada a primeira lista de artistas representados, visto que só havia uma mulher, a roqueira St. Vincent, entre mais de 80 homens. Mas a lista foi modificada e ficou mais equilibrada com a inclusão de artistas como Joni Mitchell, Joan Jett, Patti Smith e Lady Gaga, cujo piano futurista ocupa um lugar de destaque na exposição. 

*Correiodopovo

Álbum póstumo de Avicii é anunciado para junho

Após quase um ano de sua morte, o DJ e produtor Avicii ganhará um álbum póstumo, anunciado pela sua família e colaboradores para 6 de junho deste ano. De acordo com o site Deadline, o disco se chamará “Tim”, em referência ao seu nome real, Tim Bergling.

Segundo a publicação, o álbum irá conter canções que Avicii estava trabalhando antes de morrer e que foram finalizadas pela sua equipe. O primeiro single, “SOS”, será lançado na próxima semana, dia 10 de abril.

“A família decidiu não manter a música trancada – em vez disso, eles queriam compartilhá-la com seus fãs em todo o mundo”, afirmou a equipe em um comunicado oficial. Todo o lucro do álbum póstumo será destinado para a fundação em prol da saúde mental criada pela sua família em março deste ano.

Avicii morreu aos 28 anos, em abril do ano passado. Em vida, o produtor lançou dois álbuns, “True” e “Stories” e ficou mundialmente conhecido pelas faixas “Wake Me Up” e “Hey Brother”.

*Correiodopovo

Vocalista do Iron Maiden declarado cidadão honorário de Sarajevo por show durante a guerra

A cidade de Sarajevo declarou neste sábado como cidadão honorário o cantor Bruce Dickinson, vocalista do grupo Iron Maiden, para agradecer pelo apoio que deu à capital da Bósnia durante a guerra dos anos 1990. Na época em uma turnê mundial para promover o álbum solo “Balls To Picasso”, Dickinson fez um show em dezembro de 1994 na Sarajevo sitiada, onde chegou em um comboio humanitário escoltado por forças da ONU.

Em 14 de dezembro de 1994, a sala BKC, uma antiga mesquita ficou lotada para um momento raro de normalidade na cidade, que estava isolada do mundo. “Foi necessária muita coragem e humanidade para vir em 1994 a uma Sarajevo devastada e cercada, para dizer ‘não’, e defender o fim da pior guerra na Europa desde a Segunda Guerra Mundial”, afirmou Igor Gavric, presidente do Conselho Municipal, em uma cerimônia na prefeitura.

A cerimônia faz parte de uma celebração pela libertação da cidadade da Segunda Guerra Mundial. Todo ano um indivíduo recebe o título por ter contribuído com o desenvolvimento da cidade.

“Em um mundo no qual a maioria das coisas dura cerca de cinco minutos nas redes sociais é incrível que, quase 25 anos depois do show que fizemos em Sarajevo, isto signifique tanto para as pessoas a ponto de me darem este prêmio simbólico”, declarou Bruce Dickinson, muito aplaudido.

Mais de 11.000 pessoas morreram no cerco a Sarajevo, que durou 44 meses. Os habitantes da cidade redescobriram o show graças ao documentário de 2016 “Scream for me, Sarajevo!”, uma frase que Dickinson falou para o público durante a apresentação.

*Correiodopovo

Lucas Lima revela segredo de casamento com Sandy: ‘Convivência foi muito difícil’

Casados há 10 anos, Lucas Lima e Sandy mantêm um relacionamento saudável e duradouro. No Caldeirão do Huck do último sábado, 30/3, o público se emocionou com Sandy & Junior no Visitando o Passado, quadro em que os irmãos revisitaram o sítio onde cantaram pela primeira vez. Durante seu depoimento para o quadro, Lucas falou um pouco sobre o casamento com a cantora. Para ele, o primeiro ano não foi nada fácil. Ao longo da relação, os artistas passaram por altos e baixos – assim como qualquer casal. Para driblar os obstáculos que apareceram, eles precisaram fazer alguns acordos entre si.

“Logo que a gente casou, a nossa convivência foi muito difícil. Nós dois viemos de históricos familiares completamente diferentes. A gente não podia ser mais oposto, e a gente não chegou a morar junto. Foi um choque para os dois, conseguir se adaptar e entender o que era moldável ou não. O primeiro ano foi um processo longo”, contou o músico.

Lucas Lima conta que encontrou uma solução no diálogo — Foto: TV Globo

Lucas Lima conta que encontrou uma solução no diálogo — Foto: TV Globo

Lucas e Sandy se conheceram na adolescência, quando os dois já viviam a agitada rotina de shows e turnês – ele, com a Família Lima, e ela, na dupla ao lado do irmão, Junior. Em 2008, logo após o casamento, os artistas começaram a morar juntos. Lucas contou que o casal precisou encontrar, no diálogo, uma solução para lidar com as diferenças.

“Como a gente sempre foi um casal de conversar muito, sobre absolutamente tudo, a gente se abriu um para o outro. Dividir o fardo é mais fácil. Na verdade, isso tem sido a marca do nosso relacionamento. A gente conversa bastante sobre o que a gente está sentindo, até os sentimentos que teríamos vergonha. E ainda não é fácil, mas é muito legal”, afirmou Lucas.

Lucas Lima e Sandy são casados há 10 anos — Foto: Reprodução/Internet

Lucas Lima e Sandy são casados há 10 anos — Foto: Reprodução/Internet

*Gshow