Anos depois, Backstreet Boys anunciam lançamento de nova música

O grupo Backstreet Boys, que fez sucesso durante a década de 1990, anunciou que lançará um novo single na próxima quinta-feira, dia 17 de maio. O anúncio foi feito por meio das redes sociais da banda, e a música se chamará Don’t Go Breaking My Heart. O último lançamento do grupo ocorreu em 2013, com o álbum In A World Like This.

Há três anos, a boyband mais famosa dos anos 90 fechou sua turnê no Brasil com show em Porto Alegre, no Pepsi On Stage. Com mais de 130 milhões de discos vendidos e 20 anos de carreira, os Backstreet Boys divulgaram o CD “In a World Like This”.

http://www.correiodopovo.com.br/ArteAgenda/Variedades/M%C3%BAsica/2018/5/650394/Anos-depois,-Backstreet-Boys-anunciam-lancamento-de-nova-musica

A música pop ficou mais triste nos últimos 30 anos, aponta pesquisa

A música está ficando mais depressiva? De acordo com um novo estudo divulgado pela Royal Society Open Science, sim. A pesquisa indica que, nos últimos 30 anos, as músicas pop ficaram mais tristes – entretanto com ritmos cada vez mais dançantes.

A pesquisa analisou rankings de sucesso e tendências musicais de mais de 500 mil músicas que ficaram nos topos dos rankings do Reino Unido entre 1985 a 2015, e descobriu que houve “uma clara tendência de diminuição” em canções felizes e alegres, e um aumento nas músicas tristes. A masculinidade das músicas também diminuiu.

Porém, quando se trata dos verdadeiros hits, que ficaram no top 10 das paradas ou fizeram sucesso por muito tempo, os pesquisadores notaram que são as músicas mais animadas e festivas que dominam. “O público parece preferir músicas mais felizes, mesmo que mais e mais músicas infelizes estejam sendo lançadas a cada ano”, diz o estudo. Além disso, as músicas de maior sucesso são mais cantadas por mulheres.

As fontes utilizadas pelos pesquisadores foram o Top 100 Singles Chart by the Official Charts Company do Reino Unido e os sites MusicBrainz e AcousticBrainz, e usaram como critérios variáveis-base de tipos de ritmos, como tom, acústica, dançabilidade, gênero e também os “humores” e “sensações” que as músicas trazem, como paixão, confiança, diversão, raiva, ansiedade, tensão, entre outros.

http://www.correiodopovo.com.br/ArteAgenda/Variedades/M%C3%BAsica/2018/5/650782/A-musica-pop-ficou-mais-triste-nos-ultimos-30-anos,-aponta-pesquisa

Erasmo Carlos deixa o rock and roll e investe em baladas folk

Não há grandes reflexão de Erasmo Carlos sobre Erasmo Carlos. Ele é um artista aberto a todo assunto, cheio de carisma e incapaz de fugir de perguntas mesmo desconfortáveis, mas pedir que saia de si, sobrevoe o universo e volte com um pensamento profundo sobre a época e sua contextualização pode não ser o melhor caminho.

Erasmo, aos 76 anos, nem precisaria mais falar – postura que sua gentileza impede que assuma diante dos jornalistas. Ele fala agora sobre seu novo disco, “Amor é Isso”, 31º de uma carreira de 61 anos se considerarmos que estar ao lado de Tim Maia e Roberto Carlos com os Sputniks, em 1957, foi a origem.

Sua sinceridade pode deixá-lo longe da opulência dos famosos e muito próximo de qualquer interlocutor. Em vinte minutos de conversa, Erasmo coloca abaixo a expectativa por duas ou três reações politicamente corretas para dizer o que pensa. Em um bem redigido texto de apresentação do disco enviado para a imprensa, o autor anônimo diz que o novo álbum “retoma a trilha explorada no clássico LP Carlos, Erasmo, lançado pelo cantor em 1971 e que se tornaria referência fundamental aos artistas da geração da música brasileira do século 21.”

É isso que acha mesmo, Erasmo? “Olha, sinceramente não acho nada disso não. Lá havia calipso (na música Maria Joana, uma homenagem velada à maconha), Caetano Veloso (De Noite na Cama), Jorge Ben Jor (Agora Ninguém Chora Mais). Esse não tem essa mistura. Apenas minha poesia e as canções.”

Esse “Amor é Isso” é o primeiro álbum que faz depois da morte de seu filho, Alexandre, vítima de um acidente de moto em 2014. A fatalidade e a informação de que as letras das músicas saíram de poesias que Erasmo escreveu pela primeira vez em um livro que ainda não foi lançado levam a crer que ele estava em um momento de profunda tristeza, iluminado poeticamente pela perda e pela angústia.

É isso, Erasmo? “Pode ser que haja algo entre os fatos”, ele diz, educadamente, para voltar a ser fiel a si mesmo no arremate: “Mas eu te diria em um primeiro momento que não, não tem nada a ver. A gente vai simplesmente mudando com tudo o que vivemos e a vida segue.” A poesia de Erasmo escrita pela primeira vez em um caderno tirou, ele diz, as amarras das letras de música, dos tempos certos das rimas, da previsibilidade. “Eu senti como é ficar livre das letras de canção.”

“Amor é Isso”, o disco, é um álbum essencialmente de baladas, algumas vezes até folk. O produtor Marcus Preto, a ponte mais acessada por artistas interessados em trabalhar com gerações mais novas, e o baterista Pupilo, na condição de produtor musical, assinam os trabalhos de bastidores e aproximam Erasmo de uma, para ele, nova jovem guarda. Nas doze músicas do álbum, aparecem parcerias com Emicida, Marcelo Camelo e Teago Oliveira, guitarrista e vocalista da banda Maglore. Da ‘velha guarda’, traz parcerias com Marisa Monte, Nando Reis, Adriana Calcanhotto, Dadi Carvalho, Samuel Rosa e, emblematicamente, Tim Maia. Essa história precisa ser contada.

A Rua do Matoso, na suburbana Tijuca, tinha os espíritos de porco, como Erasmo e Tim Maia entregador de marmitas, e tinha Marlene. Tim se apaixonou pela garota da turma e gravou para ela mais tarde, doente de saudade enquanto vivia uma experiência adolescente nos Estados Unidos, a música “New Love” (que lançaria oficialmente apenas em 1973). “As pessoas só não sabem que esta canção já estava pronta desde 1962, mais ou menos, quando ele cantava com o grupo The Ideals”, diz Erasmo.

A versão de agora chama-se “Novo Love”, a primeira “parceria” dos velhos tijucanos Tim e Erasmo. As canções vão informando que a trilogia rock and roll abraçada com os álbuns Rock ‘n’ Roll (2009), Sexo (2011) e Gigante Gentil (2014) foi devidamente encerrada. O discurso agora é da calmaria. “É um disco mais baladeiro, queria menos agito, estava com saudades das canções.”

Com Marisa Monte e o baixista tribalista Dadi, o disco abre com “Convite para Nascer de Novo”, uma canção gravada antes de alguns maus súbitos assustarem Erasmo. “Eu comecei a desmaiar sem saber porquê. Foram alguns episódios até longos. Acontecia quase que diariamente”, ele conta. Os médicos então descobriam que Erasmo estava com uma hipersensibilidade na artéria carótida, algo que o fazia perder os sentidos. “Eu não podia usar uma gravata apertada que corria o risco de desmaiar com a pressão que ela fazia no pescoço.” Os médicos decidiram por implantar um marca-passo para controlar seus batimentos cardíacos. “Agora, eu ligo a guitarra direto no marca-passo para contar o tempo da música”, ele brinca.

Depois de Marcelo Camelo aparecer com Sol da Barra, Emicida assume uma parceria de postura contundente com “Termos e Condições”, uma crítica aos distanciamentos tecnológicos. Outra canção dos dois feita a quatro mãos, “Abre Alas do Verão”, estará no próximo disco de Gal Costa. As colaborações seguem em músicas daquelas que se pode tocar todas com o violão na sala de casa. Nando Reis (Minha Âncora) é um hit em potencial, Samuel Rosa (Novo Sentido) entrega a quase destoante de tão feliz; Adriana Calcanhotto (Seu Sim). Arnaldo Antunes (Parece que Foi Hoje) e Teago Oliveira (Não Existe Saudade no Cosmos) vão fechando um álbum muito bem costurado por tons de saudade e solidão.

Ator

Além do novo disco, o cantor também está com projetos para o cinema. Erasmo vai aparecer como o personagem José no filme “Paraíso Perdido”, de Monique Gardemberg. Será o dono de uma boate rodeado pelos filhos Angelo (Julio Andrade) e Eva (Hermila Guedes), o adotivo Teylor (Seu Jorge) e os netos Celeste (Julia Konrad) e Imã (Jaloo). A família é unida por um amor verdadeiro e passa a lidar com seus dramas cantando músicas românticas o tempo todo. Erasmo falou aos produtores: “Foi fácil fazer, fiquei à vontade, é um universo totalmente brega, que eu amo, que é familiar para mim.” A produção tem estreia marcada para 31 de maio.

http://www.correiodopovo.com.br/ArteAgenda/Variedades/M%C3%BAsica/2018/5/650798/Erasmo-Carlos-deixa-o-rock-and-roll-e-investe-em-baladas-folk

Guitarra amarela de Prince é arrematada por US$ 225 mil

Uma guitarra amarela feita para o finado músico Prince foi arrematada nesta sexta-feira por 225 mil dólares em um leilão de joias, roupas e objetos do ícone pop em Nova York, informou a empresa Julien’s Auctions. A guitarra amarela “Cloud”, chamada assim por seu corpo retorcido único, estava avaliada em entre 60 mil e 80 mil dólares, segundo Julien. No ano passado, a casa de leilões vendeu outra guitarra Cloud por 700 mil dólares.

As “Clouds” foram criadas para Prince pelo luthier de Minneapolis Dave Rusan, incluindo a usada no filme de 1984 “Purple Rain”, onde o alter ego de Prince “The Kid” a recebe de presente da namorada Apollonia. O leilão, que arrecadou dois milhões de dólares, incluiu dezenas de artigos de Prince, conhecido por seu estilo único e extravagante. Prince morreu em abril de 2016 em seu estúdio de Paisley Park vítima de uma dose acidental de analgésicos potentes, aos 57 anos.

http://www.correiodopovo.com.br/ArteAgenda/Variedades/M%C3%BAsica/2018/5/650832/Guitarra-amarela-de-Prince-e-arrematada-por-US-225-mil

Gusttavo Lima demite todos músicos de sua banda

O cantor Gusttavo Lima tomou uma decisão bastante severa em relação aos músicas de sua banda. Isso porque, ele demitiu toda equipe.

De acordo com informações do jornalista Leo Dias, do jornal O Dia, a assessoria de Gusttavo assegurou que “ele está fazendo uma renovação em alguns setores e resolveu renovar a banda também”.

Ainda segundo a publicação, o sertanejo teria oferecido apenas R$ 8 mil, quando na verdade os rendimentos dos artistas seriam algo em torno de R$ 21 mil. Dessa forma, ninguém chegou a um acordo e colocaram um ponto final.

Vale destacar que em sua apresentação, marcada para hoje, o público conhecerá a nova banda do cantor.

FILHO DE GUSTTAVO LIMA OSTENTA CARRINHO DE LUXO

Recentemente, Gabriel, de 9 meses, voltou a dar um verdadeiro show de fofura, no Instagram de seu papai famoso, Gusttavo Lima.

Desta vez, o garotinho aparece se divertindo com seu carrinho elétrico, que custa cerca de R$ 1500, e com seu cachorrinho de estimação. “É amizade sincera que fala?”, legendou Andressa Suita, mãe do menino.

Recentemente, em outro registro, no colo do conhecido artista, o pequeno foi clicado dentro de um carro de verdade, deixando à mostra toda a sua fofura e carisma, mesmo com a pouca idade, assim como seus hipnotizantes olhos azuis.

Gusttavo Lima demite todos músicos de sua banda

Anitta e dupla Matheus e Kauan lançam clipe de ‘Ao vivo e a cores’; assista

A dupla Matheus e Kauan divulgou nesta sexta-feira (11) o clipe de “Ao vivo e a cores”, música que tem a participação de Anitta (assista abaixo).

O vídeo foi gravado em um karaokê da Liberdade, bairro de cultura japonesa em São Paulo. Nas cenas, a cantora aparece com figurino de inspiração oriental.

Romântica, a canção faz parte do álbum “Intensamente hoje!” da dupla e fala de um relacionamento à distância: “A tela fria desse celular / Só ver sua foto não vai me esquentar / Amar você de longe é tão ruim”, diz a letra.

https://g1.globo.com/pop-arte/musica/noticia/anitta-e-dupla-matheus-e-kauan-lancam-clipe-de-ao-vivo-e-a-cores-assista.ghtml

Ozzy Osbourne no Brasil: ingressos, setlist e o que esperar dos shows em São Paulo, Curitiba, Belo Horizonte e Rio de Janeiro

Ozzy Osbourne começou neste domingo (13), em São Paulo, a passagem pelo Brasil de sua última turnê mundial. O “Príncipe das Trevas” ainda passa por Curitiba na quarta-feira (16), Belo Horizonte na sexta-feira (18) e Rio de Janeiro no outro domingo (20).

Ainda há tempo de comprar ingressos?

Sim. Os quatro shows ainda têm ingressos, com preços que vão de R$ 120 a R$ 680. Todas as apresentações ainda contam com promoções, do tipo “compre dois e pague um”.

Este é realmente o adeus?

A turnê atual, “No more tours 2”, é a última vez em que Ozzy viajará pelo mundo com seus shows, mesmo que só termine em 2020. Mas o cantor de 69 anos não pretende se aposentar tão cedo. Além de continuar com apresentações esporádicas, em entrevista ele disse que ainda pode voltar ao Brasil algum dia.

Ele ainda aguenta?

Pelo que se viu no primeiro show da turnê na América Latina, no Chile, o ex-vocalista do Black Sabbath mantém suas principais características no palco. A voz já não é a mesma, e ele também não consegue mais correr tanto, mas as características palminhas em cima da cabeça e a interação com o público ainda estão lá.

Há músicas do Black Sabbath?

Bem, nesta idade Ozzy se tornou um artista com hábitos. Seu setlist varia pouco, então é possível se basear bastante no show do Chile, na última terça-feira (8). De acordo com a apresentação, os fãs podem esperar pelo menos três canções da banda criadora do heavy metal:

  • “Fairies wear boots”
  • “War pigs”
  • “Paranoid”

Então mudou pouco em relação aos últimos shows por aqui?

Olha, sim e não. Se levarmos em consideração a última passagem de Ozzy, com o Black Sabbath em 2016, até que mudou legal. O show da banda foi mais enxuto, mas obviamente focava em seu repertório próprio.

Desta vez o cantor pelo menos foca menos em canções de seu antigo grupo, traz mais clássicos de sua carreira, como “No more tears” e “Mama, I’m coming home”, e dá espaço para o guitarrista Zakk Wylde, ausente da última vez, brilhar em um longo solo.

Dá logo o setlist, então.

Calma, credo. Os leitores do G1 fãs de Ozzy devem ficar felizes. As cinco músicas mais votadas na enquete (vote aqui) devem aparecer no show. Se liga em como foi o show no Chile:

  • “Bark at the Moon”
  • “Mr. Crowley”
  • “I Don’t Know”
  • “Fairies Wear Boots”
  • “Suicide Solution”
  • “No More Tears”
  • “Road to Nowhere”
  • “War Pigs”
  • “Miracle Man” / “Crazy Babies” / “Desire” / “Perry Mason” (solo de Zakk Wylde)
  • Solo de bateria de Tommy Clufetos
  • “Flying High Again”
  • “Shot in the Dark”
  • “I Don’t Want to Change the World”
  • “Crazy Train”

Bis:

  • “Mama, I’m Coming Home”
  • “Paranoid”

Ozzy Osbourne no Brasil

São Paulo

  • Data: Domingo (13)
  • Abertura dos portões: 16h00
  • Apresentação: 21h30
  • Local: Allianz Parque – Rua Turiassú, 1840 – Perdizes, São Paulo
  • Preço: Entre R$ 130 (meia) e R$ 680

Curitiba

  • Data: Quarta-feira (16)
  • Abertura dos portões: 16h00
  • Apresentação: 21h00
  • Local: Pedreira Paulo Leminski – Av. João Gava, S/N – – Abranches – Curitiba – PR
  • Preço: Entre R$ 128 (promoção) e R$ 650

Belo Horizonte

  • Data: Sexta-feira, 18 de maio de 2018
  • Abertura dos portões: 16h00
  • Apresentação: 21h00
  • Local: Esplanada do Mineirão – Av. Antônio Abrahão Caram, 1001 – Pampulha, Belo Horizonte/MG
  • Preço: R$ 120 (promoção) e R$ 600

Rio de Janeiro

  • Data: Domingo, 20 de maio de 2018
  • Abertura dos portões: 16h00
  • Apresentação: 20h30
  • Local: Jeunesse Arena – Avenida Abelardo Bueno, 3401 – Barra da Tijuca – RJ
  • Preço: Entre R$ 140 (meia) e R$ 680
https://g1.globo.com/pop-arte/musica/noticia/ozzy-osbourne-no-brasil-ingressos-setlist-e-o-que-esperar-dos-shows-em-sao-paulo-curitiba-belo-horizonte-e-rio-de-janeiro.ghtml

Após festa na avenida, vida de Martinho da Vila desfila no palco em musical de teatro

Depois de ser celebrada na avenida em pleno Carnaval pela escola de samba Unidos de Vila Isabel, no dia em que Martinho da Vila completou 80 anos, a vida do cantor, compositor e músico fluminense vai passar em desfile em outro palco. A trajetória do artista é tema do musical de teatro Martinho da Vila 8.0 – Uma filosofia de vida.

O espetáculo de Ana Ferguson, Luiz Marcelo Legey e Solange Bighetti entra em cena a partir da próxima quinta-feira, 17 de maio, no Teatro Clara Nunes, no Rio de Janeiro (RJ), cidade onde o compositor nascido em Duas Barras (RJ) em 12 de fevereiro de 1938 construiu e alicerçou uma das obras mais originais e importantes da música brasileira, erguida em torno do samba.

Assinado por Ana Ferguson e Solange Bighetti, o texto de Martinho da Vila 8.0 – Uma filosofia de vida é baseado no livro Memórias póstumas de Teresa de Jesus, escrito por Martinho e publicado em 2003 com a história da gênese familiar do artista. Teresa de Jesus é o nome da mãe de Martinho. No musical, Teresa é interpretada pela atriz Ana Miranda.

Já Martinho entra em cena nas peles de três atores diferentes. Victor Hugo, Junior Vieira e Nill Marcondes – vistos com Martinho na foto ao alto – representam o protagonista nas fases infantil, jovem e adulta, respectivamente.

O título do musical Martinho da Vila 8.0 alude obviamente às oito décadas celebradas pelo artista em fevereiro. Já o subtítulo reproduz o nome do excelente samba Filosofia de vida (2008), composto por Martinho com Fred Camacho e Marcelinho Moreira, tendo sido lançado por Martinho há dez anos no CD e DVD O pequeno burguês (2008). Nesse samba de cadência envolvente, o compositor sintetiza a visão feliz que tem do mundo.

Orquestrado sob direção de William Vita, o musical Martinho da Vila 8.0 – Uma filosofia de vida entra em cena com o aval do artista. Tanto que a curadoria do espetáculo é de Cleo Ferreira, mulher de Martinho da Vila.

https://g1.globo.com/pop-arte/musica/blog/mauro-ferreira/post/2018/05/14/apos-festa-na-avenida-vida-de-martinho-da-vila-desfila-no-palco-em-musical-de-teatro.ghtml