Museu em Nova Iorque exibe instrumentos emblemáticos da história do rock

São instrumentos que contribuíram com a história do rock: guitarras, pianos e baterias que pertenceram a grandes nomes da música e que podem ser vistos a partir desta segunda-feira no Metropolitan Museum de Nova Iorque. A exposição, que termina em 1 de outubro, quer apresentar esses objetos emblemáticos como “vetores de inovação artística”, explicou Max Hollein, diretor do Met, à imprensa.

“Os instrumentos são alguns dos objetos mais pessoais associados aos músicos mas, como espectadores, sempre os vimos de longe, em um palco, durante um show”, disse Jayson Kerr Dobney, o curador da exposição. Essa apresentação “oferecerá a rara oportunidade de analisar de perto alguns dos objetos mais emblemáticos do rock”, explicou. 

Para organizar a exposição, a instituição nova-iorquina contou com a colaboração do panteão do rock, o Rock and Roll Hall of Fame, instalado em Cleveland, no estado de Ohio (nordeste dos EUA). O museu também recebeu empréstimos por parte de músicos, interessados na visão do Met e, com frequência, fascinados pelo que esse espaço cultural representa. 

O cantor americano Steve Miller, o famoso intérprete do sucesso “The Joker” à frente da Steve Miller Band, elogiou o trabalho dos curadores, que “romperam com anos de coisas absurdas que buscavam banalizar os instrumentos”. Miller ficou “impressionado perante a potência, elegância e inteligência” da exposição, para a qual emprestou várias guitarras.

A mostra contém também instrumentos de seis cordas – e inclusive de 12, no caso da guitarra de dois braços de Don Felder, do grupo Eagles -, que pertenceram a Chuck Berry, Eric Clapton, Bob Dylan, Joan Jett e Elvis Presley. 

O entusiasmo de Jimmy Page 

Os visitantes poderão mergulhar no universo ao que remetem esses instrumentos graças a uma tela que projeta solos notáveis, como um de Prince, e as caixas de som que acompanham musicalmente o percurso da exposição.

O museu, localizado no Central Park, na Quinta Avenida, também expõe roupas de músicos e um grande número de cartazes de shows. “Nunca teria me atrevido a sonhar em estar aqui, sequer quando era criança”, afirmou o guitarrista do grupo britânico Led Zeppelin, Jimmy Page, que alcançou a fama há mais de quatro décadas. “Estava disposto a qualquer coisa para que esta exposição acontecesse”, disse. 

O Met apresenta 185 objetos, entre eles 130 instrumentos, de um período que vai de 1939 a 2017. Embora as chamadas artes menores estejam apenas começando a entrar nos grandes museus do mundo, o Met tem há anos uma coleção significativa de instrumentos musicais procedentes dos cinco continentes. 

A mostra recebeu críticas quando foi anunciada a primeira lista de artistas representados, visto que só havia uma mulher, a roqueira St. Vincent, entre mais de 80 homens. Mas a lista foi modificada e ficou mais equilibrada com a inclusão de artistas como Joni Mitchell, Joan Jett, Patti Smith e Lady Gaga, cujo piano futurista ocupa um lugar de destaque na exposição. 

*Correiodopovo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *