Acidente com van de Wesley Safadão deixa motorista ferido

A van do cantor Wesley Safadão se envolveu em um acidente na BR-316, no município de Peritoró, Maranhão, na tarde da última sexta-feira (17). 

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o motorista perdeu controle do veículo, que capotou várias vezes. O condutor sofreu escoriações no rosto, braço e perna.

De acordo com informações do G1, a van era usada como suporte para a equipe de Safadão e para divulgação e venda de CDs e DVDs do cantor.

Cantor não estava no veículo no momento do acidente.

*ibahia

‘Juntos e Shallow now’: versão da música por Paula Fernandes e Luan Santana gera críticas na internet

Paula Fernandes e Luan Santana viraram o assunto do momento no mundo das celebridades nesta sexta-feira (17). Tudo por conta do lançamento de um trecho da versão brasileira para a música ‘Shallow’, sucesso original na voz de Lady Gaga e Bradley Cooper no filme ‘Nasce uma Estrela’.

Em entrevista ao blog do Leo Dias, do UOL, a cantora falou como tem lidado com os comentários sobre a música, que deverá ser lançada oficialmente em breve.

“Confesso que estou me divertindo muito com esses memes, risos. A ideia da letra é celebrar a canção original junto com a minha versão, e não tradução. Por isso a mistura dos idiomas. Também entendo que o “Shallow” é a parte que os brasileiros mais sabem cantar da música original, e acreditei que mantendo essa palavra os fãs brasileiros se sentiriam mais à vontade para cantar a música. Estou muito feliz por tudo que está acontecendo e “Juntos e Shallow Now”, disse.

*Istoe

Ed Sheeran e Justin Bieber anunciam lançamento de música juntos

Os cantores Ed Sheeran e Justin Bieber anunciaram, nesta segunda-feira, que irão lançar uma música juntos. Essa é a primeira parceria entre os artistas e a canção estará disponível nas plataformas de streaming na próxima sexta-feira, 10 de maio.

“Minha música com Justin Bieber, ‘I Don’t Care’, será lançada nesta sexta-feira às 17h”, comemorou o cantor britânico no Instagram.

Na sua conta no Instagram, Bieber também comentou sobre a nova canção em várias ponstagens. Em uma delas, o cantor canadense inclusive adiantou poucos segundos da música. 

Bieber estava afastado dos palcos há dois anos e recentemente voltou a ativa, quando fez uma participação surpresa no show da cantora Ariana Grande no segundo domingo do festival Coachella deste ano. Na ocasião, o cantor prometeu um novo trabalho em breve. 

*Correiodopovo

“Estou sendo punida por ter 60 anos”, desabafa Madonna sobre peso da idade

Considerada por muitos como a “rainha do pop”, a cantora Madonna desabafou sobre o peso da idade quando se trata do universo da música. Em entrevista à edição de junho da revista Vogue britânica, a cantora disse que sente que está sendo “punida” por fazer 60 anos.

“As pessoas sempre tentaram me silenciar por uma razão ou outra, seja porque não sou bonita o suficiente, não canto tão bem, não sou tão talentosa, não sou casada o suficiente, e agora é que não sou jovem o suficiente. Então, eles continuam tentando encontrar um gancho. Agora eu estou lutando contra o preconceito da idade, estou sendo punida por ter completado 60 anos”, revelou.

Madonna lança seu 14º álbum de estúdio, Madame X, em junho. O trabalho foi produzido durante residência da cantora em Portugal. O processo de gravação de Madame X, composto por 15 músicas que combinam inglês, português e espanhol, durou 18 meses com sessões em Portugal, Reino Unido e Estados Unidos.

Além de Maluma, que participa das canções “Medellín” e “Bitch, I’m loca”, outros colaboradores do álbum são: a brasileira Anitta, na faixa “Faz Gostoso”; o americano Quavo, membro do grupo de rap Migos, com a canção “Future”; e também a americana Swae Lee, em “Crave”.

Confira o vídeo de apresentação de “Madame X”:

Famosos e internet reagem a retorno de Tiago Iorc: ‘Bebi demais ou ele voltou?’, questiona Marília Mendonça

O retorno de Tiago Iorc sem qualquer anúncio prévio um ano e quatro meses após descanso divulgado em janeiro de 2018 pegou todo mundo de surpresa.

O cantor divulgou um álbum com 13 inéditas na madrugada deste domingo (5). As canções também ganharam clipes dirigidos pelo artista.

“Mano, eu bebi demais ou o Tiago Iorc voltou?” foi a reação de Marília Mendonça nas redes sociais ao fato e resume bem o sentimento de muitos.

Nos posts de Tiago e do empresário do cantor, Felipe Simas, no Instagram, muitos famosos celebraram – e se surpreenderam com — o retorno do cantor com a chegada de um álbum com 13 faixas inéditas.

“Q q ta contesenu?”, questionou Selton mello. “Aêeeee”, comemorou Sandy. “Que bom que tu voltou”, escreveu Bruna Marquezine. “Oi, sumido”, brincou Felipe Araújo.

E os internautas também não perderam tempo com as montagens de diversos memes.

*G1

“Tristeza pra todo Brasil”: famosos choram por Beth Carvalho

Diversos artistas e personalidades lamentaram a morte da sambista Beth Carvalho nesta terça-feira, 30 .

“Tristeza pra todo o Brasil. Descanse, Beth, sua obra é eterna”, escreveu o humorista Helio de la Peña. Outros nomes como Walcyr Carrasco, Flávia Alessandra e Chico Pinheiro também lamentaram a morte de Beth Carvalho.

Beth Carvalho estava internada internada desde 8 de janeiro. A causa da morte não foi divulgada. Havia pelo menos 10 anos, Beth Carvalho estava com problemas de coluna. Em 2012 ela fez uma cirurgia, mas o problema persistiu. Por conta disso, no ano passado Beth Carvalho fez um show no Rio deitada em um sofá.

*Terra

Djavan reúne clássicos e pérolas em novo show

Mais do que apresentar ao público canções de um novo disco, o show, em muitos casos, representa um daqueles momentos de reencontro do artista com sua obra. É quando ele se debruça sobre a própria discografia, em busca de antigas canções que se conectem com as novas, e cria uma espécie de narrativa para a nova apresentação. Sempre foi assim para Djavan – e não foi diferente quando o músico começou a pensar no setlist da turnê nacional de Vesúvio, inspirada em seu 24º álbum, lançado no ano passado, e que estreou no final de março, em Santos (SP).

O show esteve em São Paulo em abril, onde o cantor e compositor se apresentou no Credicard Hall. “Sempre achei que o ideal é colocar no máximo metade de um disco novo, porque é importante essa troca. Quando a gente está no palco, está observando atentamente cada detalhe da plateia, o que está acontecendo, a reação”, diz Djavan, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, do Rio. “Tenho prazer de ver as pessoas felizes ali, no público, e quando há uma ‘barriga’ – que é aquele momento do show em que as pessoas se desconectam porque é uma música que elas conhecem pouco -, isso não é uma coisa agradável para nenhum artista. Mas, ao mesmo tempo, você tem de arriscar.”

Para Vesúvio, a turnê, Djavan selecionou, do novo trabalho, canções como Viver É Dever, Madressilva, Vesúvio e Solitude. Algumas delas, aliás, foram compostas sob o efeito do momento atual, no Brasil e no mundo. De alguma forma, as pessoas se manifestam na plateia quando ele as interpreta durante o novo show? “Elas reagem logo no início, porque o repertório é aberto com Viver É Dever, que tem essa interação com a atualidade, com a coisa política e tudo. Tem a Solitude também, e a reação é imediata, porque acho que consegui abordar esse tema de maneira objetiva por não ser uma coisa obscura, tentei trazê-la de uma maneira boa, otimista. Aponta as coisas, mas não fecha uma porta, eu digo que depende da gente, que a gente pode mudar tudo, e as pessoas se sentem muito envolvidas com a mensagem dita dessa maneira”, pondera o músico.

No entanto, uma grande parcela de sua apresentação é resultado de seu mergulho na própria obra. Há canções obrigatórias, como Flor de Lis e Oceano – “É quase que impossível tirá-las”. Eu Te Devoro é outro campeão de pedidos do público, por isso, quase sempre está em seus shows. “Flor de Lis, Sina, Lilás, Samurai são músicas que fazem parte de algo que não dá para mexer muito. A única coisa que faço é mexer nos arranjos, de maneira sutil, para não descaracterizar aquilo que as pessoas querem ouvir, mas elas estão sempre nos shows.” Há ainda as canções que, de tempos em tempos, retornam ao setlist, como Cigano e Acelerou.

Esperança

Os clássicos são sempre momentos esperados nos shows de Djavan, mas, para esta turnê, ele traz músicas especiais, que não cantava havia anos ou mesmo nunca tinha cantado ao vivo. “Quero-Quero, por exemplo, acho que cantei no lançamento do disco Novena (1994), há muito tempo. Eu queria um acento nordestino no repertório (do show) que não tinha. Não que seja uma música nordestina, ela tem elementos nordestinos. É uma música que lembra muito a atmosfera folclórica do Nordeste.”

Djavan trouxe também Esquinas, que não cantava havia 20 anos. “Fizemos uma enquete na internet para saber que música os internautas queriam ouvir no show e eles elegeram Flor do Medo”, conta. Essa escolha, aliás, o surpreendeu. Flor do Medo faz parte de seu álbum Vaidade, de 2004. “Flor do Medo, que há muito tempo não cantava, é muito pedida pelo povo e, quando perguntei o que as pessoas queriam ouvir no show, não imaginava que elas iam eleger essa canção, teve uma votação absurda.” Nuvem Negra é outra que Djavan nunca cantou. “É uma música que foi gravada por várias pessoas, que já teve gravações lindas, mas eu nunca tinha cantado, e agora coloquei no show.”

Mesmo ainda em início de turnê, o músico diz que já teve o feedback do público em relação à sua seleção. “As pessoas estão respondendo muito na internet em torno disso: ‘Poxa, nunca imaginei ouvir você cantar isso’. É algo que estimula bastante, porque todo mundo quer um frescor, quer poder cantar o que quer, e corresponder à ansiedade do público. Esse é o objetivo: é você transformar esse encontro num espetáculo, com interação entre plateia e palco. Quando isso se dá, aí é um show mesmo.”

Djavan compôs as canções de Vesúvio em um determinado momento do Brasil, num cenário de eleições, polarização. Como ele vê o País agora? “O Brasil está aprendendo a avançar. Acho que ainda tem um certo impasse na programação que visa a esse avanço, esse futuro”, diz. “Tenho esperança que em um momento a coisa destrave.”

Ao falar sobre esse tema recentemente, em um vídeo que foi ao ar no início do ano, afirmando estar esperançoso com o governo Bolsonaro, Djavan foi alvo de críticas. Sobre o episódio, ele diz: “Quando eu disse que tinha esperança no futuro do Brasil, é porque eu não sou capaz de torcer contra nenhum governo só porque não votei nele, porque o meu foco, a minha preocupação é o povo. Se o governo for mal, o povo vai mal, principalmente o povo mais pobre. Vou torcer sempre a favor de qualquer governo, porque meu interesse é exclusivamente o povo.”

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

*Exame

Roberto Carlos faz 78 anos: Confira 5 sucessos do rei

Antes mesmo de cantar para os apaixonados de todo o Brasil, Roberto Carlos foi rockeiro. Sob riffs de guitarra, comandava o programa Jovem Guarda juntamente com Erasmo Carlos e Wanderléa. Nas mais de cinco décadas de carreira, cantou sobre abandono, partida, paqueras, questões jovens, términos e retornos. Foi artista de cinema, astro de televisão, e é o cantor solo mais vendido do país, vendendo mais de 120 milhões de cópias.

Foto: Reprodução/Facebook

Aos 78 anos, Roberto Carlos não parece querer parar: Seu cruzeiro anual, o Emoções, já tem setores esgotados para a partida em 2020. Continua com turnês por todo o Brasil, sucesso por onde quer que passe. Separamos para você cinco sucessos do rei, um por década, para relembrar a trajetória do cantor. Feliz aniversário, Robertão!

Década de 60

Marcada pelo belíssimo órgão Hammond, “Quero Que Vá Tudo Pro Inferno” é um dos grandes sucessos da Jovem Guarda. Um rock and roll que já mostrava uma faceta mais romântica de um jovem Roberto Carlos, lamentando o fato de ter perdido a amada.

Década de 70

Em 1971, Roberto Carlos dava sua guinada ao romantismo. “Detalhes”, um dos maiores sucessos da carreira do rei, fala sobre amor e abandono, sob uma base suave e romântica acompanhada por uma orquestra, vibraphones e pianos. Uma grande cisão do estilo rebelde e roqueiro da Jovem Guarda.

Década de 80

Foi nessa época, em 1981, que Roberto gravou o que talvez seria seu maior sucesso. “Emoções”, parceria com Erasmo Carlos, é acompanhada por uma orquestra big band a-la Frank Sinatra, e é presença obrigatória nos repertórios do cantor até hoje.

Década de 90

Um Roberto mais maduro, na década de 90, acompanhava a mudança de faixa etária de seu público. Se antes cantava para os “brotos” da Jovem Guarda, foi em 1996 que lançou “Mulher de 40”.

Décadas de 2000/2010

Nos anos 2000, Roberto Carlos mostra que ainda está com tudo. Em pleno 2012, emplacou um dos maiores hits do ano, parte da trilha sonora da novela “Salve Jorge”. Em “Esse Cara Sou Eu”, o rei fala de todas as qualidades de um homem dos sonhos, em uma declaração apaixonada.

*Terra

Luan Santana exibe visual sem barba após seis anos

Luan Santana está de cara nova! Na tarde desta segunda-feira (8), o cantor dividiu com os fãs um vídeo em que ele aparece sem barba pela primeira vez em seis anos. “Vem DVD novo, de cara nova!? Tomei coragem!”, escreveu.

“Depois de 6 anos de barba vou ficar com a cara pelada de novo para ver o que vira”, disse. Enquanto eliminava os pelos com a lâmina, Luan afirmou que não ficaria bom de cavanhaque, não.”

O vídeo já ganhou mais 900 mil visualizações. Os fãs ficaram surpresos com o visual do cantor. “Meu Deus, parece que eu voltei no tempo”, disse um homem. “Ficou muito a cara do primeiro DVD”, disse uma fã. “Prefiro com”, respondeu uma admiradora.

*R7

Álbum póstumo de Avicii é anunciado para junho

Após quase um ano de sua morte, o DJ e produtor Avicii ganhará um álbum póstumo, anunciado pela sua família e colaboradores para 6 de junho deste ano. De acordo com o site Deadline, o disco se chamará “Tim”, em referência ao seu nome real, Tim Bergling.

Segundo a publicação, o álbum irá conter canções que Avicii estava trabalhando antes de morrer e que foram finalizadas pela sua equipe. O primeiro single, “SOS”, será lançado na próxima semana, dia 10 de abril.

“A família decidiu não manter a música trancada – em vez disso, eles queriam compartilhá-la com seus fãs em todo o mundo”, afirmou a equipe em um comunicado oficial. Todo o lucro do álbum póstumo será destinado para a fundação em prol da saúde mental criada pela sua família em março deste ano.

Avicii morreu aos 28 anos, em abril do ano passado. Em vida, o produtor lançou dois álbuns, “True” e “Stories” e ficou mundialmente conhecido pelas faixas “Wake Me Up” e “Hey Brother”.

*Correiodopovo